nav-left cat-right
cat-right

Jeová é Allah?

 

Abraao

Allah e Jeová são o mesmo Deus?

Uma questão teológica que recentemente um amigo “ateu” me fez foi: “O Deus dos judeus é o mesmo Deus dos muçulmanos?”; ou dito de outra forma: “Jeovah (יהוה) é Allah (الله)?”

Os muçulmanos gostam de enfatizar que os cristãos e muçulmanos na verdade acreditam e adoram o mesmo Deus (“Allah é Deus, o Único, o Misericordiosíssimo. Allah é o Deus de Abraão, Moisés, Davi e Jesus.”). O próprio Alcorão revela esta informação na Sura 29:46:

E não disputeis com os adeptos do Livro, senão da melhor forma, exceto com os iníquos, dentre eles. Dizei-lhes: Cremos no que nos foi revelado, assim como no que vos foi revelado antes; nosso Deus e o vosso são Um e a Ele nos submetemos”. *1 

Independentemente do que alegam as três grandes religiões, um aspecto muito importante para esta análise é a convergência sobre a figura do Primeiro Patriarca (Abraão) e os seus dois filhos: Ismael e Israel (Jacó), o Segundo e o Terceiro Patriarcas, questão que nenhum religioso contesta! Também não contestam a Aliança que Deus fez com Abraão, prometendo-lhe muitas nações e reis! E este Deus era אלהים (Elohim) e יהוה (Yahweh):

“3Então caiu Abrão sobre o seu rosto, e falou Deus (אלהים / Elohim) com ele, dizendo: 4Quanto a mim, eis a minha aliança contigo: serás o pai de muitas nações; 5E não se chamará mais o teu nome Abrão (אברם/  Abram), mas Abraão (אברהם  / Abraham) será o teu nome; porque por pai de muitas nações te tenho posto; 6E te farei frutificar grandissimamente, e de ti farei nações, e reis sairão de ti; 7E estabelecerei a minha aliança entre mim e ti e a tua descendência depois de ti em suas gerações, por aliança perpétua, para te ser a ti por Deus (אלהים), e à tua descendência depois de ti. 8E te darei a ti e à tua descendência depois de ti, a terra de tuas peregrinações, toda a terra de Canaã em perpétua possessão e ser-lhes-ei o seu Deus (אלהים). Gênesis 17:3-8”

Um outro fato interessante é que o primeiro descendente de Abraão foi justamente Ismael, o Patriarca dos árabes! Em Gênesis 16, lemos:

1 Ora Sarai (שרי), mulher de Abrão, não lhe dava filhos, e ele tinha uma serva egípcia, cujo nome era Agar. 2 E disse Sarai a Abrão: Eis que o Senhor (יהוה / Iahweh) me tem impedido de dar à luz; toma, pois, a minha serva; porventura terei filhos dela. E ouviu Abrão a voz de Sarai. 3 Assim tomou Sarai, mulher de Abrão, a Agar egípcia, sua serva, e deu-a por mulher a Abrão seu marido, ao fim de dez anos que Abrão habitara na terra de Canaã. 4 E ele possuiu a Agar, e ela concebeu; e vendo ela que concebera, foi sua senhora desprezada aos seus olhos. 5 Então disse Sarai a Abrão: Meu agravo seja sobre ti; minha serva pus eu em teu regaço; vendo ela agora que concebeu, sou menosprezada aos seus olhos; o Senhor julgue entre mim e ti. 6 E disse Abrão a Sarai: Eis que tua serva está na tua mão; faze-lhe o que bom é aos teus olhos. E afligiu-a Sarai, e ela fugiu de sua face. 7 E o anjo* (מלאך / malach) do Senhor** (יהוה achou junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur. 8 E disse: Agar, serva de Sarai, donde vens, e para onde vais? E ela disse: Venho fugida da face de Sarai minha senhora. 9 Então lhe disse o anjo (מלאך) do Senhor (יהוה) : Torna-te para tua senhora, e humilha-te debaixo de suas mãos. 10 Disse-lhe mais o anjo (מלאך) do Senhor (יהוה) : Multiplicarei sobremaneira a tua descendência, que não será contada, por numerosa que será. 11 Disse-lhe também o anjo (מלאך) do Senhor (יהוה): Eis que concebeste, e darás à luz um filho, e chamarás o seu nome Ismael; porquanto o Senhor ouviu a tua aflição. 12 E ele será homem feroz, e a sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos. 13 E ela chamou o nome do Senhor (יהוה שם), que com ela falava: Tu és Deus (אלהים) que me vê; porque disse: Não olhei eu também para aquele que me vê? 14 E por isso deu-se àquele poço o nome de poço Lahai-roí (  לחי  ראי ); ele se encontra entre Cadés e Barad. 15 E Agar deu à luz um filho a Abrão; e Abrão chamou o nome do seu filho que Agar tivera, Ismael. 16 E era Abrão da idade de oitenta e seis anos, quando Agar deu à luz Ismael. Gen 16:1,16 [Almeida Fiel]

Observe que neste capítulo, o Deus que abençoa Abraão é o Deus Elohim (אלהים) e Jeová (יהוה): Ismael, o primeiro filho de Abraão, com a escrava Agar, foi abençoado por Deus Jeová (יהוה) ao dizer: “Multiplicarei sobremaneira a tua descendência, que não será contada, por numerosa que será.” Todas as tradições e todas as religiões aceitam e acreditam que Ismael é o “Pai dos árabes”! E a aliança de Ismael com Deus não termina aqui:

“9E viu Sara que o filho de Agar, a egípcia, o qual tinha dado a Abraão, zombava. 10E disse a Abraão: Ponha fora esta serva e o seu filho; porque o filho desta serva não herdará com Isaque, meu filho. 11E pareceu esta palavra muito má aos olhos de Abraão, por causa de seu filho. 12Porém Deus (אלהים) disse a Abraão: Não te pareça mal aos teus olhos acerca do moço e acerca da tua serva; em tudo o que Sara te diz, ouve a sua voz; porque em Isaque será chamada a tua descendência. 13Mas também do filho desta serva farei uma nação, porquanto é tua descendência. 14Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e tomou pão e um odre de água e os deu a Agar, pondo-os sobre o seu ombro; também lhe deu o menino e despediu-a; e ela partiu, andando errante no deserto de Berseba. 15E consumida a água do odre, lançou o menino debaixo de uma das árvores. 16E foi assentar-se em frente, afastando-se à distância de um tiro de arco; porque dizia: Que eu não veja morrer o menino. E assentou-se em frente, e levantou a sua voz, e chorou. 17E ouviu Deus (אלהים) a voz do menino, e bradou o anjo de Deus (יהוה) a Agar desde os céus, e disse-lhe: Que tens, Agar? Não temas, porque Deus (אלהים) ouviu a voz do menino desde o lugar onde está. 18Ergue-te, levanta o menino e pega-lhe pela mão, porque dele farei uma grande nação. 19E abriu-lhe Deus (אלהים) os olhos, e viu um poço de água; e foi encher o odre de água, e deu de beber ao menino. 20E era Deus (יהוה) com o menino, que cresceu; e habitou no deserto, e foi flecheiro. 21E habitou no deserto de Parã; e sua mãe tomou-lhe mulher da terra do Egito. Gênesis 21:9-21

Já o segundo filho de Abraão, que acabou roubando a primogenitura de Ismael pelos ciúmes de Sara, foi Isaque:

“1E o Senhor (יהוה) visitou a Sara, como tinha dito; e fez o Senhor (יהוה) a Sara como tinha prometido. 2E concebeu Sara, e deu a Abraão um filho na sua velhice, ao tempo determinado, que Deus (אלהים) lhe tinha falado. 3E Abraão pôs no filho que lhe nascera, que Sara lhe dera, o nome de Isaque. 4E Abraão circuncidou o seu filho Isaque, quando era da idade de oito dias, como Deus (אלהים) lhe tinha ordenado. 5E era Abraão da idade de cem anos, quando lhe nasceu Isaque seu filho. 6E disse Sara: Deus me tem feito riso; todo aquele que o ouvir se rirá comigo. 7Disse mais: Quem diria a Abraão que Sara daria de mamar a filhos? Pois lhe dei um filho na sua velhice. 8E cresceu o menino, e foi desmamado; então Abraão fez um grande banquete no dia em que Isaque foi desmamado.” Gen 21:1,8

Ou seja, o mesmo Deus (אלהים e יהוה) que fala com Abraão é o que abençoa e promete proteção e expansão aos seus dois filhos: Ismael, que dá origem aos árabes, e Isaque, que originou os judeus! E não devemos esquecer que “Allah” é simplesmente a palavra árabe para “Deus”: “É importante notar que “Allah” é simplesmente o nome de Deus na língua árabe, sendo a mesma palavra que os cristãos e judeus que falam árabe usam para Deus: nas Bíblias escritas em árabe, você verá a palavra “Allah” sendo usada onde “Deus” é usado em português! *2

Concluindo: Independentemente do nome próprio de Deus em cada idioma, o Deus que gerou os dois filhos de Abraão e que lhes abençoou prometendo “grandes nações e grandes reis” é o mesmo!

A dificuldade que as pessoas têm para enxergar isto acontece pelo fato de que elas ligam os deuses aos seus nomes próprios e às suas religiões específicas, como se fossem dois deuses diferentes… E entendem que, para aceitarem a um destes deuses, têm que necessariamente seguir a religião ligada ao seu nome (Judaísmo, se for יהוה e Islamismo, se for الله)!

O termo Allāh é derivado de uma contração do artigo definido al- (“o”) com ilāh (“divindade”, “deus”). Cognatos da palavra “Allāh” existem em outras línguas semíticas, tais como hebraico e aramaico. A forma correspondente em aramaico é Elah (אלה), mas sua forma enfática é Elaha (אלהא). É escrita como ܐܠܗܐ (ʼĔlāhā) no aramaico bíblico e ܐܲܠܵܗܵܐ (ʼAlâhâ) no siríaco conforme utilizado pela Igreja Assíria, ambos significando apenas “Deus”. O hebraico bíblico utiliza a formal plural (com sentido singular) Elohim (אלהים), mas também raramente usa a forma singular Eloah (אלוהּ).  p*3

Para alguns exemplos desde tipo de conflito, cito um autor (Rafik) *4  que contradiz a questão da igualdade, dizendo em seu blog que: “Allah não pode ser Jeová por que Allah não sabe matemática. Em Sura 22:47 “Um dia para o senhor é como mil anos”, mas na Sura 70:4 “um dia para ele é cinquenta mil anos”.” Ou seja, como Allah não sabe matemática, Ele não é o Deus Jeovah!” Rsrsrs

Rafik também escreve: “O nome ELOHIM não tem nada a ver com o nome ALLAH. Allah era um ídolo na Caaba. Allah era o Baal do antigo testamento. Baal em árabe significa SENHOR.” *4 

Isto está incorreto! Baal não tem nenhuma relação histórica ou arqueológica com Allah. Este nome, que está escrito na Bíblia em hebraico (בעל), é uma palavra semítica que significa “Senhor” ou “Lorde”. A raiz da palavra significa ”ele governa ou ele possui”, de onde vem o significado literal de Senhor ou Lorde. Baal, com o artigo definido, o Baal, era o nome do principal deus masculino dos fenícios e cartagineses, e aparece também na Bíblia no plural, como baalim (בעלים – seguidores de Baal).

Baal, em árabe, escreve-se: “بعل” e significa também “Senhor” ou “mestre”. No Alcorão encontramos o nome de Baal uma única vez, na 37ª Sura:

“123 E também Elias foi um dos mensageiros . 124 Vê que ele disse ao seu povo: Não temeis a Deus? 125 Invocais Baal (1372) e abandonais o Melhor dos criadores, 126 Deus, vosso Senhor e Senhor dos vossos antepassados? 127 E o desmentiram; porém, sem dúvida que comparecerão (para o castigo), 128 Salvo os servos sinceros de Deus. 129 E o fizemos passar para a posteridade. 130 Que a paz esteja com Elias!” *5

Observação: A nota 1372 explica: “Baal, o deus-sol, cultuado na Síria. O culto incluía a adoração das forças da natureza e dos poderes procriadores, dando margem a que seus seguidores cometessem muitos abusos.” *6

Baal foi o maior deus que era adorado em Canaã e o antigo nome fenício. Permeou o culto de Baal na vida religiosa judaica durante o tempo dos juízes (Juízes 3:7), e espalhados em Israel durante o reinado do Rei Acabe (1 Reis 16:31-33) também teve um impacto no judaísmo (II Crônicas 28:2). *7

Mais uma de Rafik: “Este nome não foi passado por Ismael, pois já vimos que Ismael odiava o Deus de Israel no Salmo 83, também não foi passado pelos Judeus ou Cristãos, pois eles sabem que o nome de Deus é YHWH ou Jeová.” *4 

Esta questão de ódio entre os povos não tem nada a ver com a existência, realidade ou igualdade entre os deuses: há milênios os povos seguidores do mesmo Deus ou de outros deuses se odeiam e se matam, como por exemplo os judeus e cristãos, os judeus e os cristãos, os xiitas e os sunitas, etc… Além disso, a expulsão de Ismael e de sua mãe por parte de Sara já poderia alimentar este conflito pelos séculos a fora!

Outras afirmações de Rafik *4 , que não valem nem ser discutidas aqui são, por exemplo: “Allah odeia perguntas”; “Allah é o autor do mal”; “Allah causa o adultério”; “O Allah do Alcorão, muda, troca, cancela, ab-roga os versos do Alcorão e se contradiz o tempo todo” e “Allah não conhece historia bíblica”… Em um estudo mais detalhado, Jeovah poderia muito bem ser encaixado facilmente em todos estes argumentos, igualando-os também nestes quesitos!

Enfim, se era o mesmo Deus (אלהים) em frente a Abraão, abençoando Ismael (Patriarca dos árabes) e Isaque (Patriarca dos judeus), porque o Senhor Jeová (יהוה) não seria o mesmo Allah ( الله)?

Anotações:

* Anjo (em hebraico: מַלְאָךְ‎, malach, “mensageiro”) é um ente espiritual que serve de elo transmissor entre o homem e o Criador.

** Na Bíblia, sobretudo no Antigo Testamento há várias menções à aparição do “Anjo do Senhor”. De acordo com algumas posições teológicas, o Anjo do Senhor que fez vários contatos com personagens bíblicos, entre os quais Abraão, Hagar, Gideão, sendo aparições do próprio Deus e constituindo, portanto, uma espécie de teofania.

Fontes:

*1 Alcorão – Sura 29ª: AL ‘ANKABUT (A Aranha)

*2 https://www.islamreligion.com/pt/articles/195/quem-e-allah/

*3 https://pt.wikipedia.org/wiki/Alá

*4 http://rafik-rafikresponde.blogspot.com.br/2010/03/sera-que-allah-e-o-mesmo-deus-da-biblia.html

*5 Alcorão – Sura 37ª: AS SÁFAT (Os Enfileirados) 123 a 130.

*6 Alcorão – nota 1372.

*7 https://www.gotquestions.org/Portugues/Baal.html

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *