nav-left cat-right
cat-right

Sintomas relacionados com Alergia Alimentar

Aos leitores do meu site:

Estou escrevendo este texto introdutório nesta página e em algumas outras mais acessadas para passar informações importantes e pertinentes aos objetivos do meu trabalho.

O objetivo inicial e primordial do site é trazer informações novas e questionamentos importantes acerca do conhecimento científico humano, em particular da medicina e afins, ampliando nossos pontos de vista para aspectos inusitados do ser e do saber humanos.

Sendo assim eu questiono aqui os limites do conhecimento científico e alopático, esperando que as pessoas analisem a saúde de uma forma mais complexa e que os médicos revejam seus conceitos cristalizados em suas formações específicas.

Mas alguns temas acabaram virando fontes pessoais de consultas e esclarecimentos que fogem ao propósito do site, tais como análise de exames particulares e dúvidas em relação à conduta de outros colegas meus, a maioria alopatas.

No momento deste esclarecimento eu tenho em média 1.000 acessos por dia e estou com 1.759 perguntas respondidas e 581 à espera de resposta, o que está inviabilizando a publicação de novos temas e novas páginas (66 atualmente).

O que eu percebo também é que as pessoas leem apenas o texto principal e não se atém às perguntas respondidas por outros leitores, fazendo com que muitas perguntas sejam repetitivas, assim como suas respostas.

O que eu espero, a partir deste aviso, é que as pessoas leiam tudo o que está escrito no texto e também tudo o que está escrito nas outras páginas relacionadas ao tema, antes de fazer a pergunta, que provavelmente já está respondida em outro lugar.

Espero, também, que as pessoas levem aos seus médicos o endereço do meu site e convidem os seus médicos a lerem os textos para que eles ampliem sua visão pessoal e a saúde no Brasil possa melhorar de uma forma bem mais ampla e benéfica.

Muitas perguntas feitas são casos de emergência médica e este site não é da Ecco Salva, SIATE ou dos bombeiros que atende aos pedidos de urgência. Uma pessoa uma vez escreveu que estava se afogando e queria saber o que fazer naquele momento!

Enfim, o objetivo principal é passar novas informações e formar novas opiniões e por isso agradeço se você, leitor, passar estas ideias para frente, para seus amigos e para seus médicos, o que já será de grande valia.

Abraços a todos.

ALERGIA ALIMENTAR E SÍNDROME DE ADIÇÃO

Uma das questões mais interessantes e indesejáveis das alergias alimentares é que o alimento alergênico leva o paciente ao vício e à compulsão por aquele alimento específico (“Síndrome de Adição”).

Isto acontece porque quando o intestino recebe um alimento reativo (alergênico) ocorre um aumento na produção de endorfinas e de CIC (Compostos Irritativos Circulantes). Estes CIC causam irritação e inflamação de tecidos e órgãos. A partir daí o cérebro libera mediadores opióides para tranqüilizar o organismo e resistir o ataque dos CIC, causando uma ativação ou um estímulo físico ou emocional, dependendo do alimento agressor. Portanto o paciente alérgico fica, na realidade, viciado em suas próprias secreções opiódes cerebrais, como acontece com outras substâncias viciantes.

Além disso, apesar de ser um tema complexo e não aceito pelas comunidades científicas oficiais, a lista de sintomas relacionados direta ou indiretamente com as alergias alimentares é enorme e aparecem em uma série de pesquisas independentes:

SINTOMAS COMUNS ÀS ALERGIAS

 

CABEÇA:

Círculos avermelhados.

Sudorese sob os olhos.

Enxaquecas e Cefaléia em Salvas (Cluster Headache).

Sono interrompido de madrugada.

Tonturas e desmaios.

Sonolência pós-prandial (logo após as refeições).

Insônia.

Sensação de peso na cabeça.

OLHOS, OUVIDOS E NARIZ:

Coriza, entupimento e muco excessivo.

Zumbidos auditivos e tinidos.

Lacrimejamento. Visão turva.

Infecções auditivas recorrentes e secreção auditiva.

Dores de ouvido.

CORAÇÃO E PULMÕES:

Congestão torácica e broncoespasmo.

Asma e anafilaxia induzida pelo exercício.

Crise  hipertensiva várias horas depois de ingerir um alimento reativo.

Palpitações, arritmias, taquicardia, aumento da freqüência cardíaca após comer um alimento reativo.

Dor torácica.

BOCA E SISTEMA DIGESTIVO:

Alterações da voz.

Coceira no céu da boca.

Dificuldade de engolir

Garganta seca com sensação de garganta inflamada sem outra causa aparente.

Aftas.

Sensação ou gosto de produtos químicos na boca.

Cólica.

Vômito.

Diarréia.

Sangue nas fezes.

Constipação.

Gases.

Colite.

Náuseas.

PELE:

Palidez.

Dermatite herpetiforme.

Eczemas.

Erupções e rashes.

Unhas e cabelos quebradiços.

Alopécia areata (“pelada”, ou queda repentina dos pelos nas áreas afetadas).

SINTOMAS GERAIS:

Micção freqüente ou urgência miccional.

TPM.

Prurido vaginal e corrimento.

Fadiga crônica.

Prurido anal.

Obesidade, flutuação fugaz de peso.

Artrites e dores articulares.

Vontade anormal para comer certos alimentos e comer fora de hora.

Dores nas mãos, pés e tornozelos.

Dores musculares.

SINTOMAS LIGADOS AO SISTEMA NERVOSO CENTRAL:

Déficit de atenção.

Ansiedade.

Síndrome de pânico.

Diminuição de coordenação motora.

Agressividade, inquietação e gagueira.

Certas formas de autismo e esquizofrenia.

Depressão e crises de choro.

Hiperatividade em crianças e adultos.

Voz sussurrada.

A seguir vamos enumerar os sintomas de Má Adaptação ao Meio Ambiente, elaborados por Randolph, citado na página anterior:

A- NÍVEIS DE ADIÇÃO (Estimulação)

Mais 1: Raramente visto pelo médico: são pessoas alegres e de alto astral e medianamente excitados São saudáveis ao extremo.

Mais 2: Frequentemente visto pelo médico.

- Hiperatividade em crianças e adultos

- Obesidade

- Alcoolismo

Mais 3:

- Egocentrismo

- Ansiedade

- Nervosismo ao extremo

- Tremores

- Comportamento de alcoolizado com incoordenação motora

Mais 4:

- Mania, com ou sem convulsões

- Crise epiléptica

- Reações catatônicas

- Agitação psicomotora

- Pânico

- Pensamentos, movimentos e fala repetitivos (obsessivo-compulsivo)

 

B- NÍVEIS DE SUBTRAÇÃO (Abstinência )

Menos 1: Sintomas físicos localizados. É o campo do alergista ortodoxo

- Sinusite, rinite, asma, urticária, eczema e dermatite de contato

Menos 2: Sintomas físicos sistêmicos. Raramente diagnosticado pelos médicos.

- fadiga, dor de cabeça, dores musculares, dores articulares, gastrite, colite

Menos 3: Sintomas mentais e alterações do comportamento

- depressão leve

- confusão mental

- diminuição da memória

- indecisão

- “Brain Fag” (cansaço crônico, dores de cabeça e problemas cognitivos vários (dificuldades de concentração, problemas de memória, etc.)

- mudanças do humor

Menos 4: Sintomas mentais mais severos

- depressão grave

- psicoses

- reações mentais com alterações da percepção e da consciência

No Brasil, José Arnaldo Gaertner e Jorge Cavalcanti Boucinhas em experiência clínica de longos anos no estudo da alergia alimentar, relatam os principais sinais e sintomas da alergia alimentar:

I – Gastrointestinais:

- Náuseas, vômitos, diarréia, constipação, flatulência, eructação, gastrite, cólicas intestinais, cólon irritável, Doença de Crohn, prurido anal, língua saburrosa, sintomas aparentes de problemas da vesícula.

II- Dermatológicos:

- Erupções, assaduras, eczemas, dermatites herpetiformes, pele seca, caspa, unhas e cabelos quebradiços

III- Otorrinolaringológicos:

- Coriza e congestão nasal, lacrimejamento, visão turva, estalos, zumbidos e dor de ouvido, sensação de descer a serra, surdez, infecções de ouvido recorrentes, prurido e corrimento auditivos, dores de garganta, rouquidão, tosse crônica, prurido no céu da boca, sinusite recorrente.

IV- Cardiopulmonares:

- Palpitações, arritmias , taquicardia, asma, congestão no peito e bronquite

V- Outros sinais e sintomas:

- Fadiga crônica, artrites, dores musculares e articulares, edema de mãos, pés e tornozelos, sintomas urinários como polaciúria, ardência e urgência miccional, prurido e corrimento vaginal, variação rápida de peso (de 1 a 1,5 Kg ou mais, correspondendo a inchaço), bulimia e anorexia nervosa, dores de cabeça , enxaqueca, inchaço e rugas sob os olhos (“olheira”), tontura , vertigem , zonzeira.

Embora esta lista possa parecer exagerada e fantasiosa, eu já tive pacientes que foram considerados alérgicos a determinados pacientes e curaram diversos sintomas com a exclusão dos alimentos alergênicos, tais como: ansiedade, palpitação, crise hipertensiva, enxaqueca, eczema, TPM, hemorragia intestinal, gases, náuseas, distensão abdominal, hiperatividade, déficit de atenção, depressão, etc.

A ocorrência destes sintomas dependem em grande parte do que se conhece como “órgão alvo”, que é o órgão mais fraco geneticamente falando. Cada família tem um sistema ou órgão mais frágil, como coração, figado, intestino, pulmão, pele, cérebro, etc. e é normalmente neste órgão ou sistema que a alergia alimentar vai apresentar seus primeiros e mais importantes sintomas.

Vale a pena também lembrar aqui que o intestino delgado já foi chamado de “segundo cérebro”, por produzir a maior parte da serotonina utilizada pelo cérebro, o que justificaria os problemas emocionais das pessoas que têm alergia alimentar: a alergia provoca inflamação crônica do intestino, o que leva à alteração da produção da serotonina e com isso uma perda do controle emocional.

Alimentos mais comumente reativos, na população em geral:

Leite de vaca (e seus derivados = queijos, requeijão, ricota, iogurtes, nata, etc.).

Glúten: Trigo, aveia, cevada, centeio e malte (tanto integral quanto processado).

Ovo. Tomate. Cenoura. Batata inglesa. Soja.

OUTROS: (menos comuns) batata doce, cana de açúcar, cacau, café, amendoim, camarão, galinha, pimentão, carne de porco, de peru e carne bovina.

FRUTAS: manga, pêssego, mamão papaia, abacaxi, maçã, morango, abacate, banana.

ÓLEOS COMESTÍVEIS: amendoim, oliva, milho, soja, girassol, algodão, arroz.

Outros dados sobre alergias alimentares

(1) A prevalência de alergias a amendoim quase dobrou em um período de cinco anos nos EUA.

(2) Um pequeno grupo de alimentos é responsável por aproximadamente 90% das alergias alimentares. Estes são: leite, ovos, soja, amendoim, frutas oleaginosas (nozes, castanhas, e similares), trigo, frutos do mar e peixe.

(3) Enquanto nos adultos as alergias normalmente persistem pela vida toda, as crianças podem deixar de ter alergia a determinados alimentos conforme elas crescem.

(4) O único tratamento oficial para as alergias alimentares é a eliminação completa do alimento que causa a reação alérgica da dieta.

(5) Os sintomas de uma alergia alimentar podem diferir bastante entre indivíduos, variando desde um desconforto leve até reações potencialmente fatais. Os sintomas incluem por exemplo, inchaço dos lábios e língua, irritação da pele e sintomas gastrointestinais (diarréia, náusea e vômitos). Coriza e falta de ar também são freqüentes. Alguns indivíduos podem desenvolver reações anafiláticas.

(6) A reação anafilática é uma reação alérgica por IgE potencialmente fatal. Os sintomas geralmente aparecem rapidamente após a ingestão do alérgeno e podem envolver a pele (coceira, vermelhidão, brotoejas), inchaço da garganta e dificuldade de respirar, sintomas gastrointestinais e perda da consciência. Cuidados médicos urgentes são necessários e geralmente incluem a aplicação de injeção de epinefrina (adrenalina).

(7) Os amendoins e frutas oleaginosas (nozes, castanhas e afins) estão entre os maiores responsáveis por estas reações alérgicas fatais.

(8) A cada ano estima-se que nos Estados Unidos as reações anafiláticas sejam responsáveis por cerca de 30mil atendimentos hospitalares emergenciais, 2.000 internações e 150 mortes.

(9) As alergias alimentares são diferentes das intolerâncias alimentares. As alergias alimentares são reações adversas a determinados alimentos causadas pelo sistema imunológico. Já as intolerâncias alimentares não são mediadas pelo sistema imunológico e geralmente não são fatais.

312 Responses to “Sintomas relacionados com Alergia Alimentar”

  1. marisa disse:

    olá Dr Paulo Marciel . meu esposo trabalha á 20 em uma fabrica de moveis de madeira na parte da pintura e fez tratamento com pneumologista um bom tempo ele faz uso da ALENIA. disse o medico que ele tem uma lesão no pulmão.de um tempo pra cá esta saindo um cheiro de verniz da narina e da boca dele ele não sente o cheiro só quem esta perto sente esse cheiro. só queri a saber o que devemos fazer e se normal isso acontece.

    • Marisa, o que é preciso ser feito é identificar a origem desta halitose.
      Ele trabalha na parte de pintura dos móveis? Usa equipamento de proteção?
      Uma coisa que tem que ser descartada é o Diabetes: Os sintomas iniciais são poliúria (urinar demais), muita sede e fome. Posteriormente o paciente irá evoluir com desidratação, ritmo cardíaco acelerado (sensação de ‘batedeira’), pressão baixa, náuseas, vômitos, dor na barriga, fraqueza, confusão mental e o famoso hálito cetônico que é justamente o cheiro de cetonas proveniente desses ácidos que estão aumentados no sangue.
      Abs

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>