nav-left cat-right
cat-right

Perigos das Isoflavonas

Perigos das Isoflavonas Dietéticas a Níveis Superiores

Àqueles Encontrados Nas Dietas Tradicionais [1]

Soja e isoflavonas - clique para ampliar

Soja e isoflavonas - clique para ampliar

A Cargill recebeu por “auto-determinação” o status de “GRAS”[*] para seu suplemento de isoflavona da AdvantaSoyTMClearTM para ser usado como um aditivo para bebidas, barras nutritivas, iogurtes, substitutos de refeições e confeitarias. Os resumos de estudos abaixo dão amplas provas dos perigos de adicionar fitoestrógenos (isoflavonas) nas comidas comuns. Os efeitos danosos incluem bloqueio endócrino, supressão da tiróide, supressão do sistema imune, supressão da produção do esperma, quebra de DNA e incidência aumentada de leucemia, câncer de mama, câncer de cólon, infertilidade, problemas de crescimento e mudanças sutis no comportamento do dimorfismo sexual.

Tem sido argumentado que níveis altos de isoflavonas da soja como genisteína, daidzeína e genistína em dietas asiáticas protegem os habitantes do Japão e China de certas doenças degenerativas, especialmente câncer de mama e de próstata. Na verdade, o consumo de soja em dietas asiáticas tradicionais é baixo. Um relatório de 1975 lista os alimentos a base de soja como fontes secundárias de proteína no Japão e China. [2] As fontes principais de proteína listadas eram as carnes inclusive vísceras, aves, peixes e ovos. O consumo médio de isoflavona em dietas asiáticas é de 3 a 28 mg/dia, como mostrado na tabela abaixo.

Os estudos indicam que o consumo de isoflavona a níveis que excedem ligeiramente esses níveis encontrados nas dietas tradicionais resultam em supressão da tiróide e bloqueio endócrino. O suplemento da AdvantaSoyTMClearTM acrescentaria 30 a 50 mg de isoflavonas para cada 100 gramas de várias comidas ocidentais comuns, níveis que excedem as quantias encontradas em dietas tradicionais e que está na gama de níveis que causam problemas, especialmente para os indivíduos sensíveis. Note que este nível também é maior que a quantia provida por 25 mg de proteína de soja, a quantia determinada pelo FDA para garantir uma reivindicação de ser saudável. Não só é possível mas provável que muitos indivíduos consumirão dois ou mais tipos de comidas às quais as isoflavonas de Cargill foram acrescentadas, especialmente aquelas comidas que serão promovidas com muito propaganda sobre os seus benefícios de saúde. Dois ou mais tipos de tais comidas proveriam 60 a 100 mg de isoflavonas por dia, uma quantia que provê o estrogênio equivalente à pílula anticoncepcional[3] e que claramente traz perigos mesmo depois de um período breve de entrada diária.

Moléculas de isoflavonas (Clique para ampliar)

Moléculas de isoflavonas (Clique para ampliar)

Isoflavonas

China (1990) [4] 3 mg/dia
Japão (1996) [5] 10 mg/dia
Japão (1998) [6] 25 mg/dia
Japão (2000) [7] 28 mg/dia
Em japoneses recebendo quantidade adequada de iodo, causou supressão da tiróide depois de 3meses. [8] 35 mg/dia
Em mulheres americanas, causou mudanças hormonais depois de 1 mês. [9] 45 mg/dia
Em mulheres americanas, causou mudanças que pressagiam câncer de mama depois de 14 dias. [10] 45 mg/dia
Quantia recomendada pelo FDA. [11] 24 mg/dia
AdvantaSoyTMClearTM 30-50 mg/100 g de porção

Como evidência da toxicidade no acúmulo das isoflavonas da soja, advertências começaram a  aparecer na imprensa popular. Um artigo que aparece na Sessão de Saúde do Washington Post foi intitulado: “Você tem que ter cuidado com a soja: tofu e comidas semelhantes podem ser benéficas, mas alguns peritos temem que os excessos possam ser inseguros”. [12] Escrevendo para o New York Times, a colunista de saúde Marian Burros publicou o seguinte comentário sobre suplementos de isoflavona que provêem 50 a 100 mg de isoflavonas por cápsula: “Contra o fundo de elogios difundidos. . . existe uma suspeita crescente de que a soja — apesar de seus benefícios indisputados — pode ter algumas periculosidades. . . . Nenhum dos 18 cientistas entrevistados para esta coluna estava disposto a dizer que tomar isoflavonas era livre de risco”. [13]

Mariam Burros colunista do New York Times

Mariam Burros colunista do New York Times

A adição de isoflavonas nas comidas comuns traz um claro perigo ao público e não deveria ser permitida.

A seguir o site traz uma gama enorme de estudos desenvolvidos desde 1953 até 2003, detalhando os efeitos danosos da soja na saúde humana.

Soja

Quando eu comento com meus pacientes sobre os perigos da soja, todos me perguntam “porque então a soja é tão divulgada e promovida?”. Minha única resposta é esta:

A Índia deve comercializar no ano que vem (2010) mais de 3,5 milhões de toneladas do farelo. O Brasil colherá 57,1 milhões de toneladas e a Argentina deve colher o equivalente a 31,9 milhões de toneladas do grão. Lovatelli estima que a área de cultivo de soja no Brasil aumente cerca de 3 a 4% para a próxima safra. A previsão é de que a produção avance sobre a área de milho. Também ontem, o governo norte-americano anunciou que a produção de soja nos Estados Unidos vai chegar a 3,2 bilhões de bushels do grão.[14]

Precisa falar mais?

Notas:

1. Texto trazuido por mim do site http://www.westonaprice.org/soy/dangersisoflavones.html#studies

2. Nutrition during Pregnancy and Lactation. California Department of Health, 1975.

3. Bulletin de L’Office Federal de la Santé Publique, No 28, July 20, 1992

4. Este estudo exaustivo das dietas chinesas demonstrou que o consumo de legumes varia de 0 a 58 gramas por dia, com uma média de 13 gramas. De acordo com os investigadores, aproximadamente 2/3 desta dieta foi suprida através de feijões de soja, dando um consumo médio de cerca de 9 gramas de produtos de soja por dia. Chen J, Campbell TC, Li J, Peto R. Diet, Lifestyle and Mortality in China. A study of the characteristics of 65 counties [Dieta, Estilo de vida e Mortalidade na China. Um estudo das características de 65 municípios]. Monografia publicada na Oxford University Press, Cornell University Press, China People’s Medical Publishing House, 1990. O conteúdo de Isoflavona é calculado como aproximadamente 3 mg por dia baseado em uma quantia média de 30 mg de isoflavonas totais por 100 gramas de tofu. USDA-Iowa State University Database on the Isoflavona Content of Foods 1999 [USDA – Universidade do Estade de Iowa, Banco de dados do Conteúdo de Isoflavona em Comidas 1999.

5. Fukutake M, Takahashi M, Ishida K, Kawamura H, Sugimura T, Wakabayashi K. Quantification of genisteína and genistína in soybeans and soybean products [Quantificação de genisteína e genistína na soja e produtos de soja].  Food Chem Toxicol 1996;34:457-461.

6. Nagata C, Takatsuka N, Kurisu Y, o Shimizu H. Decreased serum total cholesterol concentration is associated with high intake of soy products in Japanese men and women [A redução da concentração de colesterol total é associada com alto consumo de produtos de soja em homens e mulheres japoneses]. J Nutr 1998 Feb;128(2):209-13.

7. Nakamura Y, Tsuji S, Tonogai Y. Determination of the levels of isoflavonoids in soybeans and soy-derived foods and estimation of isoflavonoids in the Japanese daily intake [Determinação dos níveis de isoflavonoids em sojas e comidas com derivados da soja e estimação de isoflavonoids no consumo diári japonês.]. J AOAC Int 2000;83:635-650. J AOAC Int 2000;83:635-650.

8. Y Ishizuki, al de et, “The effects on the thyroid gland of soybeans administered experimentally in healthy subjects,” Nippon Naibunpi Gakkai Zasshi 1991, 767: 622-629 [“Os efeitos na glândula tiróide de sojas administradas experimentalmente em sujeitos saudáveis”. Foram administrados trinta gramas de soja em conserva assados por dia aos indivíduos do teste. O conteúdo de isoflavona para sojas em conserva assadas não está avaliada mas sojas cruas japonesas contêm 119 mg de isoflavonas totais por 100 gramas, dando um total médio de 35 mg de isoflavonas por dia.

9. Cassidy UM, Bingham S, Setchell KD. Biological effects of a diet of soy protein rich in isoflavonas on the menstrual cycle of premenopausal women [Efeitos biológicos de uma dieta de proteína de soja rica em isoflavonas no ciclo menstrual de mulheres no climatério]. Am J Clin Nutr 1994;60(3):333-340.

10. McMichael-Phillips DF e outros. Effects of soy-protein supplementation on epithelial proliferation in the histologically normal human breast [Efeitos da suplementação de proteína de soja na proliferação dp epitélio em células mamárias histologicamente normais]. Am J Clin Nutr 1998 Dec;68(6 Suppl):1431S-1435S.

11. A quantia recomendada pelo FDA para adultos é de 25 gramas de proteína de soja isolada por dia. Isto provê aproximadamente 24 mg de isoflavonas por dia baseado em um conteúdo de isoflavona total de 97 mg para cada 100 gramas de proteína isolada de soja. USDA-Iowa State University Database on the Isoflavona Content of Foods 1999 [USDA – Universidade do Estade de Iowa, Banco de dados do Conteúdo de Isoflavona em Comidas 1999.

12. Washington Post Health Section, January 30, 2001.

13. Burros M. Doubts Cloud Rosy News on Soy. New York Times, January 26, 2000.

14. [http://www.agronline.com.br/agronoticias/noticia.php?id=8291]


[*]GRAS” é um acrônimo para a frase “Geralmente Reconhecido Como Seguro” [Generally Recognized As Safe].  A frase foi usada em 1958 pela Emenda de Aditivos Alimentares para o “Ato Federal de Drogas, Comidas e Cosméticos” (Food Additives Amendment to the Federal Food Drug and Cosmetic Act FD&C Act“) isentar certos ingredientes alimentares da definição de “aditivo alimentar”.

48 Responses to “Perigos das Isoflavonas”

  1. Solange disse:

    Saiu um artigo na revista Men’s Health sobre um caso típico que aconteceu com um ex-oficial americano que por intolerância à lactose começou a ingerir o leite de soja depois de um tempo, sua mama começou a crescer e secretar leite, ficou impotente, com depressão, e os sintomas só desapareceram depois que um endocrinologista militar conseguir desvendar o mistério (após inúmeras peregrinações por médicossss) pedindo a ele que parasse de tomar a soja. Hoje ele confere rótulo por rótulo dos alimentos e NÃO COME NADA QUE CONTENHA SOJA. Porque tem soja em tudo quanto é alimento industrializado, soja-leite, soja-hamburgueres, soja sucos prontos misturados, leite de vaca misturado com soja, uma verdadeira decepção alimentar industrializada. O problema é mais grave quando bebês ingerem 100% da sua alimentação soja. As pessoas deveriam se informar mais, ler mais fontes confiáveis de informação e não ficar só duvidando das pesquisas científicas que apesar de serem falseáveis as pesquisas demonstram muitas verdades…

    • drpaulomaciel disse:

      Este assunto relatado está descrito na minha página sobre os perigos da soja. Abs.

      • Claudia disse:

        E sobre o chá de amora para ajudar a diminuir o fogaxo ? É uma recomendação bem antiga, do tempo da vovó. O Sr. aconselha esse chá ? Em caso positivo, quantas vezes ao dia ? Qual a melhor forma de prepará-lo ?
        Grata

        • Cláudia:
          Pegar algumas folhas e galhos da amora, colhidos frescos da árvore ou secos em saquinhos vendidos em lojas de produtos naturais. Fazer o chá bem fervido à noite e tomar um copo antes de dormir, outro assim que acordar.

    • antonieta disse:

      A isoflavona pode causar mal ,porem é um produto natural,um alimento que não pode ser comparado com hormonios fabricados em laboratório.Esses sim devem ser analisados os seus efeitos com relação a saude da mulher

      • Antonieta:

        Não é porque é natural, que a soja não faça mal… Muitas plantas são naturais e matam com os seus venenos (Cicuta, Dedaleira, Comigo-ninguém-pode, etc.)…
        Como diz o texto das isoflavonas, japoneses recebendo 35 mg/dia de isoflavona e quantidade adequada de iodo, ela causou supressão da tireóide depois de 3meses. Em mulheres americanas, causou mudanças hormonais depois de 1 mês com 45 mg/dia e também em mulheres americanas, causou mudanças que pressagiam câncer de mama depois de 14 dias com 45 mg/dia.
        Concordo que a reposição hormonal tem mais riscos que benefícios, mas mesmo assim as isoflavonas não são a melhor opção, ok?

        Abs

  2. ende ferrari disse:

    quero saber se a isoflavona é para ser usada somente na passagem da idade ou é para ser usada mesmo depois que a mulher ja é idosa, isto é com 60 anos

  3. ende ferrari disse:

    a isoflavona tem limite de idade, ou só deve ser tomada na passagem da idade ?

  4. Nice disse:

    Tenho 51 ano de idade e só agora estou sentindo sintomas da menopausa por isso,comecei usar uma colher de chá de Isoflavona por dia sempre as 12horas . No momento estou sentindo bem não tive mais os sintomas será que devo para???? Fiquei um pouco assustada com tantas informações.

    • drpaulomaciel disse:

      Nice: Tudo na medicina depende do que se chama de “Risco x Benefício” e isso só um médico qualificado pode lhe dizer, ok? Qual a dosagem da Isoflavona em uma colher de chá? Como você adquiriu esta isoflavona?

  5. Salie disse:

    Olá,
    Fui operada de um cancer de jejuno e ganhei muito peso pós quimiotereapia. como estou com 45 anos, o médico agora me receitou isoflavona. Fazendo pesquisa, encontrei o site e estou com medo de tomar o remédio. O cancer que tive era proveniente de hormÕnios (adenocarcinoma pouco diferenciado com elevado grau de diferenciação neuroendócrina. O que deve fazer?

    • drpaulomaciel disse:

      Salie:
      Como diz no site, os efeitos danosos das isoflavonas “incluem bloqueio endócrino, supressão da tiróide, supressão do sistema imune, supressão da produção do esperma, quebra de DNA e incidência aumentada de leucemia, câncer de mama, câncer de cólon, infertilidade, problemas de crescimento e mudanças sutis no comportamento do dimorfismo sexual”.
      Se ele receitou por causa da Menopausa (45 anos), sugiro procurar outras alternativas mais seguras e saudáveis que as isoflavonas, tais como Progesterona Micronizada, Yam mexicano, Angelica sinensis, Dioscorea villosa, Vitex agnus castus, ou Lisadoterapia, Homeopatia e Acupuntura, ok?

  6. Maria disse:

    afinal essa porra de isoflavona e bom ou ruim pra menopausa???????
    previene doenças tipo cancer ou da cancer????
    pq uns falam uma coisa, outros falam outra coisa, eu nao sei em quem ou no q acredita !!!!
    se alguem poder me esclarecer melhor , eu ficaria muito grata !!!!!

    • drpaulomaciel disse:

      Maria, vou “esclarecer melhor”, como você pediu: as isoflavonas são boas para a menopausa e ruins para as mulheres, entendeu?
      É exatamente como a reposição hormonal alopática com estrogênios: são boas para a menopausa e ruins para as mulheres.
      Por que digo isso? Porque estes tratamentos têm efeitos colaterais mais graves que os próprios sintomas da menopausa (é o lema do tratamento: Risco x Benefício).
      Além disso, uma pergunta que todas as mulheres deveriam fazer para si mesmas: “Por que a menopausa dá sintomas?” Se ela é uma fase natural da vida, por que algumas mulheres ficam doentes na menopausa? Assim como no ciclo menstrual normal, por que algumas mulheres ficam doentes? Por que elas têm cólicas, inchaço e TPM, fogacho, insônia e osteoporose? Será que a natureza fez algo errado e por isso algumas mulheres adoecem?
      Não, com certeza! A resposta é a seguinte: algumas mulheres adoecem durante os ciclos naturais da vida porque elas estão doentes… Doentes pelo estresse crônico que ganharam ao entrar no “mundo masculino”. Depois que as feministas queimaram os sutiãs na praça pública da França, as mulheres vieram acumulando cada vez mais funções: estudar, trabalhar, casar, ter filhos, cuidar da casa, cuidar do marido, cuidar dos filhos, levar e buscar os filhos na escola, ficar magra e bonita, malhar e ser feliz!
      Uma sobrecarga imensa tem caído sobre os ombros da maioria das mulheres, muitas delas divorciadas e ainda mais sobrecarregadas. E o estresse desvia o eixo hormonal Hipotálamo/Supra-renais, gerando TPMs sofridas e menopausas complicadas. Veja até onde já foram os estudos sobre os fogachos:

      Cerca de 50% a 70% das mulheres apresentam sintomas vasomotores (fogachos, calores noturnos) durante a transição para a menopausa. Fogachos são sensações transitórias de dissipação de calor através da pele, acompanhadas de sudorese, palpitações, náuseas, tonturas, cefaléias e alterações do sono e eventualmente insônia. Os mecanismos fisiopatológicos que contribuem para o desenvolvimento dos fogachos não são completamente conhecidos; sabe-se que, alterações dos níveis de estrógenos oriundos do declínio da função ovariana são importantes, mas não suficiente para o seu desenvolvimento.
      Mas que calor é esse? Chamado de fogacho, o calor repentino é característico dessa fase, atingindo cerca de 80% das mulheres. Ele provoca rubor, transpiração e até palpitações por alguns segundos e obedece a um ciclo, com início, ápice e fim. Ataca com freqüência durante o sono, ocasionando suores noturnos que chegam a encharcar a camisola, além de atrapalhar o período de descanso. Daí as queixas de insônia, nervosismo e fadiga no dia seguinte. O desconforto pode, ainda, vir acompanhado de outros sintomas como enjôos, dores de cabeça e tonturas.
      Uma provável explicação para a onda de calor é que ela se origina de uma tentativa frustrada de elevar os estoques de estrogênio: o hipotálamo, parte do cérebro encarregada de controlar o ciclo menstrual, ordena um aumento na produção dos hormônios que estimulam a atividade ovariana. Também é o hipotálamo que exerce o papel de regular a temperatura corporal, além de comandar o apetite. Acredita-se que os fogachos se desencadeiam por tensão emocional, excitação, medo e ansiedade.
      Outros sinais que surgem são instabilidade de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, queda de memória e depressão. Mas esses mesmos sintomas podem ser agravados pelo estresse e o medo que a pessoa sente de envelhecer e deixar de ser atraente. A perda da libido por ocasião da pré-menopausa, por exemplo, talvez esteja mais ligada às circunstâncias psicológicas do que propriamente à falta de hormônio, pondera a Sociedade Brasileira do Climatério.
      Segundo, Lila E. Nachtigall, professora de obstetrícia e ginecologia da Escola de Medicina da Universidade de Nova York e especialista em menopausa, as ondas de calor quase sempre ocorrem quando a produção de estrogênio dos ovários está decrescendo, ou quando o estrogênio já deixou de ser produzido, isso por volta dos 45 anos de idade, geralmente. Entretanto, algumas pesquisas já realizadas mostram que o nível específico de estrogênio não é o que causa a sensação de calor. Os estudos mostram também que as taxas não diferem entre as mulheres que sofreram fortes ondas durante a menopausa e as que não sentem nada.
      A médica afirma que o número de receptores de estrogênio na área do cérebro chamada hipotálamo é o que parece fazer a diferença. Quando esses receptores não estão satisfeitos, eles liberam uma substância chamada pelos pesquisadores de noradrenalina cerebral, é a única certeza, por enquanto, para explicar o fogacho, esclarece a ginecologista. Essa substância ainda não foi isolada, mas parece ser similar à adrenalina produzida pela glândula supra-renal, conclui Lila Nachtigall.
      A Adrenalina e a Noradrenalina são formadas a partir da dopamina, derivada da Tirosina. Elas atuam na musculatura cardíaca e no metabolismo (adrenalina), atuam também na circulação periférica (noradrenalina) e auxiliam o corpo a lidar com stress agudo e crônico.
      Por fim, Maria, quando você escreveu “pq uns falam uma coisa, outros falam outra coisa, eu nao sei em quem ou no q acredita !!!”, eu lhe convido a ler meus outros artigos sobre ciência, verdades e paradigmas… Se eu lhe perguntar se um dia seremos arrebatados por Jesus ou abduzidos por discos voadores, o que você me diria? Cada um crê no que quer, e paga o preço por isso…

  7. bola disse:

    GOSTARIA DE SABER SE UM HOMEN PODE TOMAR FINASTERIDA 1 MG, E ISOFLAVONA 60MG DIA E SE ISSO PODE AFEMINAR O HOMEN …..

    • drpaulomaciel disse:

      Bola:

      A finasterida é um inibidor competitivo e específico da 5-alfa-redutase do tipo II. A inibição dessa enzima impede a conversão periférica da testosterona ao andrógeno DHT, resultando na significativa diminuição das concentrações de DHT no soro e nos tecidos.
      Ela é indicada no tratamento de homens com calvície de padrão masculino (alopecia androgenética), para aumentar o crescimento capilar no couro cabeludo e prevenir a queda adicional de cabelo. Os seguintes efeitos adversos são relatados na bula: diminuição da libido e disfunção erétil, além da diminuição do volume do ejaculado.
      Conforme o site http://www.uro.com.br/faq_alop.htm, podemos ver que:
      A maioria dos efeitos colaterais da finasterida foram observados com a dose de 5mg para doenças urológicas (próstata), mas mesmo na dose de 1mg como a utilizada em dermatologia (alopécia) os efeitos são os mesmos a longo prazo, falando a favor de uma “impregnação” do organismo.
      Uma verdade sobre a finasterida é a diminuição da libido, sem impotência, apenas um “desinteresse” pelo sexo, que quando solicitado, “funciona”. Em vários clientes, pudemos notar que houve diminuição da testosterona a níveis muito baixos, o que explica a perda da libido. Também houveram queixas de cansaço físico ou perda de condicionamento físico e diminuição do líquido ejaculado, possivelmente também explicado pela baixa testosterona.
      Como a finasterida realmente funciona para evitar a queda dos cabelos (dificilmente repõe) e a vida média dela é longa (dias), orienta-se a alguns clientes a intercalarem os dias de uso da medicação, objetivando diminuir seus efeitos colaterais sobre a sexualidade, sem prejudicar o efeito sobre o couro cabeludo. Os efeitos são reversíveis com a descontinuação da finasterida e é lógico, os cabelos voltam a cair após algum tempo.
      Os efeitos danosos das isoflavonas a longo prazo incluem (ver em http://drpaulomaciel.com.br/as-medicinas/nutricao-verdades-x-mentiras/soja-heroina-ou-vila/perigos-das-isoflavonas/): bloqueio endócrino, supressão da tiróide, supressão do sistema imune, supressão da produção do esperma, quebra de DNA e incidência aumentada de leucemia, câncer de mama, câncer de cólon, infertilidade, problemas de crescimento e mudanças sutis no comportamento do dimorfismo sexual.
      Na minha página http://drpaulomaciel.com.br/as-medicinas/nutricao-verdades-x-mentiras/soja-heroina-ou-vila/perigo-soja-a-vista/ você poderá ler que James Price, o oficial aposentado do exército americano, durante meses teve sua masculinidade minada por peitos inchados, perda de pelos e redução da libido para depois descobrir que todo aquele calvário estava ligado ao consumo excessivo de soja. Notar mamas inchadas seria difícil para qualquer homem. No caso dele foi ainda pior devido ao contraste com o resto do corpo magro e definido. Mas não foi o único sintomas. “Meu pênis ficou tão flácido que parecia ter encolhido. Até minhas emoções mudaram.”
      Mas a resposta à sua pergunta é: claro que não, este tratamento jamais poderia “afeminar” um homem, poderia apenas deixá-lo temporariamente impotente e sem libido, gerando talvez baixa auto-estima, depressão e alguns conflitos de identidade, ok?
      Abs.

  8. Magali Vegas disse:

    Prezado Dr. Paulo Maciel,

    Amei a explicação acima dada para a Sra. Maria que como eu também fico confusão com tanta controvércias.

    A explicação do Dr. está mais do que clara. . .

    O colesterol já estou tratando com a famosa sinvastatina (tratamento alopático) e chá de semente de orucum.

    Agora Dr. Paulo já que há tantos malefícios e efeitos danosos para a mulher na ingestão das isoflavonas, o que nós podemos tomar?

    Lí que o Sr. sugere
    Progesterona Micronizada, Yam mexicano, Angelica sinensis, Dioscorea villosa, Vitex agnus castus, ou Lisadoterapia.

    muito obrigada,

    Magali Vegas

    • Oi, Magali!
      Embora eu tenha editado o seu E-mail por questões éticas, vou respondê-la por aqui mesmo para dar mais estes esclarecimentos aos meus leitores, ok?
      Primeiramente, eu questiono a necessidade de tomar Sinvastatina para baixar os colesteróis, já que elas produzem um grande número de efeitos colaterais e doenças a longo prazo; veja em: http://drpaulomaciel.com.br/o-perigo-dos-tratamentos-para-o-colesterol/.
      Em segundo lugar, sempre que um médico receita uma droga ao paciente deve levar em conta a questão do “Risco x Benefício”, tanto da doença quanto do tratamento. Considerando que 75% dos pacientes que enfartam têm colesterol LDL normal, qual é o fator que realmente causa a maioria dos enfartos? A resposta, dada pela própria Medicina, é: os “fatores de risco” (obesidade, sedentarismo, estresse, tabagismo, alcoolismo, hipertensão arterial e hereditariedade). Leia mais em: http://drpaulomaciel.com.br/a-roupa-nova-do-colesterol/.
      Outra questão é: por quanto tempo tomar a sinvastatina? A partir de que tempo de uso ela passa a causar danos silenciosos? Uma questão interessante a observar é que a doença que mais mata atualmente no mundo é o infarto e o efeito colateral dos tratamentos que mais mata no mundo é pelo infarto. Leia-se em: http://drpaulomaciel.com.br/faz-mal-para-o-coracao/.
      A Sibutramina, por exemplo, foi proibida pela Agência Europeia de Medicamentos no ano passado porque o estudo “sibutramine cardiovascular outcomes trial (SCOUT)” mostrou que o risco de infarto do miocárdio aumenta 16% em pessoas que tomam o medicamento. Segundo a agência europeia, “os riscos da sibutramina superam seus benefícios”.
      Os efeitos adversos anteriormente conhecidos da sibutramina eram: aumento de pressão, taquicardia, palpitações, vasodilatação, constipação, xerostomia, dor de cabeça, insônia, parestesia, lombalgia, náusea, dispepsia, sudorese, alteração do paladar, dismenorréia, alterações visuais (moscas volantes).
      Outro dado interessante é o que está escrito na bula da droga: “deve ser usado em conjunto com dieta e exercícios, como parte de um programa de gerenciamento de peso, quando somente a dieta e exercícios comprovam- se ineficientes”. Outros estudos mostram que apenas 10% das pessoas que emagrecem, permanecem magras; e são justamente aquelas que mudam seu “estilo de vida” para toda a vida, não apenas para emagrecerem, mas para serem saudáveis.
      Agora, voltando à questão do que as mulheres podem tomar na menopausa, eu costumo dizer que não existem remédios para as doenças, mas sim para as pessoas. Cada ser humano é único em sua individualidade, levando-se em conta sua genética, seu metabolismo, seu estilo de vida e sua natureza psíquica, biológica e espiritual. Eu sempre digo que “não existe doença da idade”, mas “doenças das pessoas”. Uma “doença da idade” apareceria em todas as pessoas que chegassem àquela idade, e isto não existe. A doença crônica é conseqüência do desequilíbrio da pessoa enferma, e não de uma condição externa a ela. O que eu vejo constantemente em meu consultório são mulheres que chegam à menopausa numa condição muito complicada: sedentárias, estressadas e com diversos desequilíbrios hormonais e metabólicos. As mulheres na menopausa estão sobrecarregadas pelo trabalho profissional, pelas responsabilidades do lar e da maternidade, do casamento e do ambiente social, tendo ainda que lidar com uma mídia que cobra dela juventude permanente e magreza exemplar… Com tudo isto, não existe uma receita genérica para as mulheres, mas sim propostas individuais de reequilíbrio, que podem ou não incluir medicamentos de naturezas diversas. Quanto um médico cita um produto na mídia é apenas como um exemplo genérico, mas cada caso tem que ser investigado, analisado e examinado em particular para uma indicação precisa e segura de tratamento eficaz.
      Por isso não podemos, por questões legais e da ética, indicarmos tratamentos por Internet, ok? Sempre recomendamos que as pessoas procurem profissionais qualificados e de sua confiança para iniciarem um tratamento adequado ao seu caso.
      Abs.

  9. Simone disse:

    Ai, ai, ai!
    Com 34 anos descobri que estava na menopausa. Nao conseguia dormir, emagreci muito, tinha ondas de calor e ficava muito, muito nervosa. Minha médica me receitou o hormônio alopático Cycloprimogina. Tomei este por 4 anos com acompanhamento médico e me sentia muito bem. Hoje tenho 38 anos. Como sou muito natureba, pedi à médica para tentarmos parar com o hormônio. Fiquei 40 dias sem e nao aguentei. Entao ela me receitou Glycine max (L.)Merr. 150mg. 1/dia. Estou tomando há 31 dias. Nos 2 últimos dias dormi bem. Acho q.ele comeca a fazer efeito. As ondas de calor continuam, mais brandas. Tenho mais gazes e espinhas. O q. o Sr. sugere: sem hormônio, alopático ou fitoterápico? Obrigadao!

  10. BOLA disse:

    o que pode acontecer se a minha progesterona estiver elevadqa no meu caso ela esta em 1,53, em quando o maximo deveria ser 1,22

    • Níveis elevados de progesterona podem indicar anovulação, tumores luteinizantes, cistos ovarianos que produzem progesterona ou hiperplasias adrenocorticais e tumores que produzem progesterona junto com outros hormônios esteróides.

  11. BELA disse:

    GOSTARIA DE SABER SE EXISTE ESTUDOS DO USO DE ISOFLAVONA PARA HOMENS! E SE UM HOMEM USAR ISOFAVONA ISOLADA DE SOJA PODE AFEMINALO

    • Bela:

      Uma coisa é comer soja e beber leite de soja em busca das suas proteínas, outra é tomar as isoflavonas, que são extratos vegetais industrializados com fito-hormônios.
      A soja contém grandes quantidades de fitoestrógenos e é o alimento mais rico em isoflavonas disponível para consumo. As isoflavonas são semelhantes aos estrogênios do organismo, sendo que a soja possui três isoflavonas: genisteína (55%) daidzena (45%) e gliceteina (5-10%).
      O Dr. Geraldo Medeiros, no site diz:
      “A ingestão habitual de derivados de soja podem induzir ginecomastia em homens adultos normais. O consumo de mais do que 3 ou 4 copos de “leite de soja” por dia, a que se acrescenta o uso de molhos de soja, “bife de soja” muito apreciado por vegetarianos, leva a um grande aumento na circulação dos chamados “Fito-estrogenios”. Muitas mulheres, já na menopausa, usam comprimidos de derivados da soja pelo fato de que este vegetal contém substâncias semelhantes ao estrógeno. O principal agente químico da soja, com ação feminina é a genisteina uma das isoflavonas da soja.
      A ingestão exagerada de produtos de soja leva a maior conteúdo intestinal de genisteina, que é transformada por micro organismos intestinais em produtos similares ao estrógeno. Após a absorção estes agentes feminilizantes irão agir no tecido mamário masculino produzindo nítido aumento do volume, ou seja, surge a ginecomastia.
      Os autores deste trabalho indicam que vários produtos herbais, presumivelmente “inocentes” e considerados como seguros pelos adeptos do vegetarianismo podem conter soja na sua formulação. A conseqüência do excesso de estrógenos por esta via pode, além de ginecomastia, induzir outros efeitos no equilíbrio hormonal do homem (queda de libido, disfunção erétil, aumento anormal de gordura em quadris).”
      Leia também este artigo do meu site: .
      Não vejo razão alguma para um homem tomar isoflavona, a não ser que ele deseje algum grau de feminilização do seu corpo, como acontece com o uso das pílulas anticoncepcionais em travestis.
      Abs.

  12. deborah Lima disse:

    Ola Dr.Paulo, meu nome é deborah tenho 35 anos,a 2 anos tive um tumor cancerigeno nos ovarios, e tirei os ovários,útero,trompas,gangulos e gorduras do abdomom,fiquei curada, nao precisei fazer uso de radio,quimio nem cobalto,apenas faço uso de estradiol (prymogina),parei de consumir carne vermelha e seus derivados, e ter uma alimentaçao mais natural inclusive usando produtos naturais derivados de soja e linhaça, dai em diante ganhei 35 kilos em 2 anos,pode me dizer na sua opiniao se o meu ganho de peso, é pelo hormonio(prymogina,estradiol 1mg), pela retirada dos ovários ???
    Fiz exames de tireoide,diabetes,colesterol,trigliceridios, e esta tudo em ordem, mas perçebo que nao elimino na urina todo o liquido que bebo.

    Por favor me dê sua opiniao

    obrigada

    • Deborah:
      Muitas mulheres relatam que engordam após fazerem cirurgias ginecológicas, mas na medicina alopática não existe nenhuma relação de causa e efeito entre os fatos.
      A obesidade não é causada pelo uso dos hormônios; inclusive, alguns estudos mostram justamente o contrário: que a terapêutica hormonal após a menopausa reduz a obesidade abdominal em mulheres não diabéticas com síndrome metabólica: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302007000600003.
      Outra pesquisa mostra que na menopausa, a queda dos estrogênios está ligada ao aumento do peso corporal: na menopausa a tendência a engordar é muito maior. Em uma série de experimentos com animais, os pesquisadores mostraram que os receptores de estrogênio, localizados no hipotálamo são fundamentais para o controle do apetite. Quando estes receptores são destruídos, os animais do estudo passaram a ingerir mais alimentos, gastar menos calorias e acumular peso. Os receptores de estrogênio também estão localizados em células em todo o corpo e estudos prévios já haviam demonstrado que um tipo de receptor conhecido como alfa ou ER-alfa, tem um papel importante na regulação da ingestão de alimentos e no gasto energético.
      A sua resposta deve ser procurada em outros fatores: estresse, sedentarismo, excesso de carboidratos (pela retirada da carne), entre outros.
      Abs,

  13. Val disse:

    Boa noite Dr. Paulo:

    Meu nome é Val, tenho 48 anos e já entrei na fase da pré-menopausa. Como tantas outras mulheres eu também cheguei a consumir Isoflavonas de Soja. Como sou técnica em química e adepta da medicina natural/alternativa, faço a dieta mediterrânea para me manter em forma e com saúde e soja mesmo só aquela vem na ração humana que eu também consumo diariamente e é excelente para o bom funcionamento do intestino.
    Seu estudo vem de encontro com a alternativa que eu encontrei há algum tempo, depois de muito estudar e pesquisar o assunto pela Internet, e já faço uso do Yam Mexicano que eu compro em uma farmácia de manipulação. No entanto, ele por si só não foi suficiente para resolver o meu problema, e continuando os meus estudos eu adicionei à minha terapia o chá de Amora Miúra – Morus alba L. (o sr. tem alguma pesquisa sobre seus efeitos e melhora nos sintomas da menopausa ?) e um composto natural calmante (passiflora, mulungu, melissa, capim cidreira, macela), o que tem sido uma combinação muito boa mesmo. No entanto, ainda não ajustei um bom composto para os inchaços – principalmente nas pernas, porque nos meus estudos eu li que todos os agentes progestagênicos (mesmo os naturais como o Yam) podem causar esse inchaço, principalmente no período menstrual que eu ainda tenho ocasionalmente pois nem tomando chá verde (entre outros naturais que eu já testei), isso só tem aliviado o problema. Eu já fiz vários exames e não tenho problemas de rins, nem hipertensão, nem diabetes, enfim, com todo esse coquetel além da minha dieta balanceada seria meio difícil, só o inchaço que realmente me incomoda e gostaria de saber se é mesmo uma reação do Yam Mexicano e como posso resolver isso. Tenho estudado e pensado na Rutina (vitamina P), até porque esse problema já vem de família. Muito obrigada !

    • Val:
      Vejo que você tem aproveitado bem os seus estudos de química e feito boas escolhas nutricionais e terapêuticas, mas eu tenho buscado ir além dos medicamentos sintomáticos com meus pacientes, buscando antes de tudo a “causa” dos seus sintomas. Como você bem sabe, toda a alopatia científica começou com os estudos da fitoterapia e dos seus princípios ativos. Sendo assim, o uso dos fitoterápicos seguem o mesmo princípio da alopatia: tratar sintomas a partir dos seus componentes químicos ativos, embora sejam mais adequados por serem naturais.
      Minha compreensão pessoal é que se uma pessoa tem sintomas é porque está com algum desequilíbrio individual, que deve ser descoberto e tratado em sua origem. Pela minha experiência, a maioria dos casos de TPM e sintomas de menopausa não têm base hormonal diretamente, mas sim causa psicossomática. E o grande vilão neste caso é o estresse crônico, que a maioria das mulheres vêm vivenciando nestas últimas décadas. O estresse crônico produz cortisol, que reduz a atividade do hgH (Hormônio do crescimento) e da testosterona no organismo, desequilibrando a conversão da testosterona em estrogênio e gerando sintomas por deficiência hormonal. Além disso, o cortisol produz ainda: perda de músculos e acúmulo de gordura na barriga, menor utilização da glicose, baixa imunidade, perda de memória e dificuldades de aprendizado, osteoporose, insônia, perda da libido, irritabilidade e pensamentos negativos repetitivos, sintomas muitas vezes relacionados à menopausa. Ainda em relação à menopausa, acredita-se atualmente que os fogachos se desencadeiam por tensão emocional, excitação, medo e ansiedade, sentimentos comuns nas mulheres neste período.
      Por isso tudo, eu costumo dosar todos os hormônios da paciente, inclusive o SDHEA e se necessário, entrar com uma reposição de DHEA, pregnenolona ou lisados de hipotálamo e ovários, em vez de procurar medicamentos que possam aliviar os sintomas, ok? Deve-se dar, também, uma avaliação e atenção especial ao grau de estresse e às suas causas e tratamentos.
      Abs.

  14. celia disse:

    olá dr suas informações muito boa acabei de mandar fazer 90 capsula de isoflavona mas quando li td aquilo fiquei em duvida por favor me ajude estou com uma onda de calor muito grande minha medica falou que isoflavona é muito bom pois é natural
    mas com seu profundo conhecimento acho que osr está certo o que devo fazer tomar para que eu melhore do calor “terrivel”
    desde já muito obrigado e um fraterno abraço

    • Célia:

      Infelizmente não posso indicar tratamentos pela Internet, mesmo porque não conheço suas necessidades individuais.
      O correto é fazer uma dosagem hormonal de toda a “cascata hormonal”: Progesterona, DHEA, testosterona, estrogênio e cortisol e ver se existe alguma deficiência nestes valores. Mas existem muitos outros fatores que interferem nesta questão.
      Na Revista Viva Saúde [http://revistavivasaude.uol.com.br/Edicoes/0/artigo5208-2.asp], pode-se ler:

      Acredita-se que os fogachos se desencadeiam por tensão emocional, excitação, medo e ansiedade. Outros sinais que surgem são instabilidade de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, queda de memória e depressão. Mas esses mesmos sintomas podem ser agravados pelo estresse e o medo que a pessoa sente de envelhecer e deixar de ser atraente. A perda da libido por ocasião da pré-menopausa, por exemplo, talvez esteja mais ligada às circunstâncias psicológicas do que propriamente à falta de hormônio, pondera a Sociedade Brasileira do Climatério.”

      Nesta reportagem você vai encontrar algumas sugestões interessantes para o fogacho.

      Abs.

  15. valle disse:

    sou homem tenho 41 anos e minha alimentação e 100% a base de soja, sou alergico a quase todos os outros, tipos de alimento. dos 20 anos ate os 40 meu peito estava almentando de tamnho dos 40 aos 41 começou a dar uma pedras e a areola ficou grande, procurei o endocrino e ele pediu varios exames entre eles o 17b estradiol, com o resultado em mãos, verifiquei que o meu estradiol esta 91 pg/mL o metodo do exame e QUIMIOLUMINESCENCIA, O VALOR MAXIMO DE REFERNCIA PARA HOMENS E MENOR OU IGUAL A 47pg/mL, O resultdo saiu dia 28/04/2012. minha pergunta heeeee O MEU ESTRADIOL ESTA ALTO DESTE JEITO POR CONTA DA MINHA ALIMENTAÇÃO………………. A MINHA GINECOMATIA PODE ESTAR ASSOCIADA A MINHA ALIMENTAÇÃO………

    AT

    VALLE

  16. Cristina Oliveira disse:

    Onde posso adquirir Progesterona micronizada em gel e qual a dosagem?tenho 52 anos e 62 kg.
    Cristina

  17. SOELI disse:

    Boa noite Dr Paulo

    Tenho 43 anos e preocupada com a menopausa, resolvi começar a consumir soja para amenizar as reações provenientes da mesma.
    Antes de começar a tomar resolvi pesquisar a respeito,comecei a ler matérias que falam muito bem,até que cheguei em sua matéria,achei muito interessante e resolvi jogar fora a soja que havia comprado.Obrigada pelas informações.

    • Soeli:
      Atualmente acredita-se que os fogachos e outros sintomas da menopausa se desencadeiam por tensão emocional, excitação, medo e ansiedade, e não da “falta dos hormônios” como muita gente acredita.
      Outros sinais que surgem na menopausa são instabilidade de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, queda de memória e depressão. Mas esses mesmos sintomas podem ser agravados pelo estresse e o medo que a pessoa sente de envelhecer e deixar de ser atraente. A perda da libido por ocasião da pré-menopausa, por exemplo, “talvez esteja mais ligada às circunstâncias psicológicas do que propriamente à falta de hormônio”, pondera a Sociedade Brasileira do Climatério.
      Um ótimo artigo sobre o assunto você pode ler aqui: http://revistavivasaude.uol.com.br/Edicoes/0/artigo5208-1.asp.
      Abs.

  18. hilda disse:

    Dr Paulo, minha familia tanto do lado de meu pai e mãe, tem histórico de cancer, tenho muito medo de fazer reposição hormonal e li com muita atenção todas as pergunta e respostas. Ja tinha ouvido falar do chá da amora, (inclusive foi um medico que receitou para uma conhecida minha) o que o sr, acha que devo fazer? Pois esse calor e de fazer qualquer um sair do serio!! O chá da amora só pode ser tomado quente?

    • Hilda:
      Realmente, a reposição hormonal não só é perigosa para a saúde, como também proibida em muitos países.
      Existem muitas alternativas para acalmar os sintomas da menopausa, mas o mais importante é buscar as causas dos sintomas, já que a menopausa é uma fase biológica da mulher e não deveria causar nenhum tipo de sofrimento.
      Os fitoterápicos mais usados pela Medicina Chinesa são: Jia Wei Xiao Yao San, Chai Wu Shu Gan Tang, Xiao Chai Hu Tang, entre outros.
      Já os fitoterápicos brasileiros mais usados são: Isoflavonas (da soja), Trifollium pratense (Red Clove), Cimicifuga racemosa (Black Cohosh) e Angélica sinensis (Dong quai). Entretanto, devemos lembrar que a maioria destas plantas também têm isoflavonas e por isso podem não ser indicadas quando existe o risco de câncer de mama e de útero. O Trevo vermelho, por exemplo, possui isoflavonas que ajudam a diminuir fogachos, além de prevenir a osteoporose. A Cimicifuga racemosa também possui isoflavonas e triterpenos que diminuem os fogachos e a depressão, além de melhorarem o sono e também alivia a secura vaginal; uma pesquisa da Universidade de Zurique apontou esta planta como a mais eficiente contra os fogacho. Já o Yam mexicano tem uma estrutura parecida com a progesterona, por isso está associado à diminuição dos fogachos, da secura vaginal, além de proteger o útero contra possíveis tumores. E a Angelica sinensis regula ciclos menstruais alterados e diminui o mal-estar da menopausa por causa dos flavonóides e esteróides.
      O ideal da famosa Amora é ser usada como tintura, 30 gotas, 3x ao dia após as refeições. O princípio ativo da Amoreira encontra-se presente em maior quantidade nos frutos e não nas folhas, e por isso o chá das folhas que é de uso bem difundido, tem menor quantidade do princípio ativo. Mas igualmente aos outros fitoterápicos citados, ela é contra-indicada em casos de pessoas que já tiveram câncer de mama e de útero, ou têm história familiar destes cânceres. Eles devem ser usados com acompanhamento médico, pois seus componentes são similares aos estrógenos naturais e agem ocupando os receptores estrogênicos presentes nas células humanas.
      Abs.

      Fonte: http://pt.shvoong.com/medicine-and-health/alternative-medicine/1831942-menopausa-tratamento-natural/#ixzz1zzDdb4Pb

  19. SONIA disse:

    Dr Paulo,sou Sonia tenho 51 anos
    comecei com os caloroes aos 46anos,mas ainda menstruando.
    aos 49 anos parou a mestruaçao entrei d vez na menopausa.
    os caloroes e taquicardia sao insuportaveis…alem de secura vaginal e baixa libido.
    minha mae teve cancer de mama aos 80anos(fazem 5 anos).
    por isso nenhum gineco me recomenda trh…mas me receitam isoflavonas…(que so adianta p pele,pois nao alivia em nada os caloroes)o que eu faço agora que li seu artigo.
    onde achar ajuda…um medico amigo me recomendou a pregnolona…e entao…pode me ajudar
    grata

    • Sonia,

      Cada caso deve ser personalizado e para isto se faz necessário medir todos os hormônios sexuais e seus precursores para identificar onde deve ser feita a correção.
      Pela ciência, os calorões são causados por tensão emocional, excitação, medo e ansiedade, já que eles são controlados pelo Hipotálamo e não pelos ovários.
      Outros sinais que surgem na menopausa são instabilidade de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, queda de memória e depressão. Mas esses mesmos sintomas podem ser agravados pelo estresse e o medo que a pessoa sente de envelhecer e deixar de ser atraente. A perda da libido por ocasião da pré-menopausa, por exemplo, talvez esteja mais ligada às circunstâncias psicológicas do que propriamente à falta de hormônio, pondera a Sociedade Brasileira do Climatério.
      A Pregnenolona é uma das alternativas, mas pode não ser eficaz para os sintomas relatados.
      Procure um médico que investigue a sua “cascata hormonal” e faça uma avaliação do seu nível de estresse antes de concluir qual é a melhor atitude a ser tomada, ok?
      Dê uma lida neste meu novo artigo: http://drpaulomaciel.com.br/as-doencas/mulheres-fibromialgia-e-outras-doencas/.

      Abs.

  20. Raquel disse:

    Dr. Paulo
    Sou Raquel, tenho 50 anos, estou tomando isoflavona há mais ou menos 3 meses por recomendação médica. Por não poder fazer reposição hormonal(tenho caso de câncer na família- mãe),problemas vasculares, retenção de líquidos(vasos linfáticos), o médico receitou isoflavona 75 mg para prevenção de infartos, apesar dos exames de colesterol e triglicérides estarem normais. Estou com um pouco de receio de continuar tomando, após ler os e-mail respondidos pelo senhor sobre os malefícios da isoflavona e também por achar que a retenção de líquidos aumentou. Gostaria de saber se realmente é comprovado que a isoflavona pode piorar a retenção de líquidos.Obrigado.

    • Raquel:

      Estudos sobre os efeitos das isoflavonas em homens e mulheres, mostrou o seguinte:

      Em japoneses recebendo quantidade adequada de iodo, 35 mg/dia causou supressão da tiróide depois de 3meses.
      Em mulheres americanas, 45 mg/dia causou mudanças hormonais depois de 1 mês.
      Em mulheres americanas, 45 mg/dia causou mudanças que pressagiam câncer de mama depois de 14 dias.

      Mas não existe nenhum estudo que eu conheça sobre isoflavonas e retenção de líquidos.

      Abs.

  21. everaldo rodrigues disse:

    Esta discussão não passa pela questão da quantidade? Se analisarmos a quantidade de pessoas usando soja no mundo, só o Brasil produz bilhões de toneladas e a quantidade consumida, não chegaremos ao resultado de que ela traz muito mais benefícios a muitos excetuando-se aquelas pessoas que claramente tem problemas com a sua ingestão? Comparar seu uso com o uso dos produtos de origem animal, ela não ganha de 10 x 0? Acho que todo alimento pode fazer mal depende de quem consome e como ou o quanto consome, até o limão faz mal se for mal usado.

    • Everaldo:

      Com certeza, esta discussão passa pela questão da quantidade! Se você ler melhor a página, vai ver que lá está escrito:

      “Estudos sobre os efeitos das isoflavonas em homens e mulheres, mostrou o seguinte:
      Em japoneses recebendo quantidade adequada de iodo, 35 mg/dia causou supressão da tiróide depois de 3 meses.
      Em mulheres americanas, 45 mg/dia causou mudanças hormonais depois de 1 mês.
      Em mulheres americanas, 45 mg/dia causou mudanças que pressagiam câncer de mama depois de 14 dias.”

      Os produtos com soja contém as seguintes quantidades de isoflavonas:
      1 copo de leite de soja = 8 mg de isoflavonas
      1/2 xícara de tofu = 25 mg de isoflavonas
      1/2 xícara de grãos = 78 mg
      1/4 de xícara de proteína texturizada de soja (PTS) = 33 mg de isoflavonas

      A propósito, o Brasil não produz “bilhões de toneladas” de soja, mas 75 milhões!
      Veja estes dados da Embrapa (http://www.cnpso.embrapa.br/index.php?cod_pai=2&op_page=294):

      Soja em números (safra 2010/2011)

      Soja no mundo
      Produção: 263,7 milhões de toneladas

      Área plantada: 103,5 milhões de hectares
      Fonte: USDA

      Soja na América do Sul
      Produção: 135,7 milhões de toneladas
      Área plantada: 47,5 milhões de hectares
      Fonte: USDA

      Soja nos EUA (maior produtor mundial do grão)
      Produção: 90,6 milhões de toneladas
      Área plantada: 31,0 milhões de hectares
      Produtividade: 2.922 Kg/ha
      Fonte: USDA

      Soja no Brasil (segundo maior produtor mundial do grão)
      Produção: 75,0 milhões de toneladas

      Área plantada: 24,2 milhões de hectares
      Produtividade: 3.106 Kg/ha
      Fonte: CONAB

      Mato Grosso (maior produtor brasileiro de soja)
      Produção: 20,4 milhões de toneladas
      Área plantada: 6,4 milhões de hectares
      Produtividade: 3.190 Kg/ha

      Paraná (segundo produtor brasileiro de soja)
      Produção: 15,4 milhões de toneladas
      Área plantada: 4,6 milhões de ha
      Produtividade: 3.360 kg/ha
      Fonte: CONAB

      Eu sou médico e cientista e por isso tenho que ter cuidado com minhas conclusões e minhas palavras… Quando você escreve: “Comparar seu uso com o uso dos produtos de origem animal, ela não ganha de 10 x 0?”
      Onde você leu ou estudou isto? Quais são as suas fontes de pesquisa? Por quanto tempo foram comparados os efeitos do uso do soja e dos produtos de origem animal nestes estudos?

      E quando você escreve: “Acho que todo alimento pode fazer mal depende de quem consome e como ou o quanto consome, até o limão faz mal se for mal usado.”
      Realmente isto é verdade, e eu também acho que se uma pessoa se afogar podemos dizer que até a água pode matar, mesmo nosso corpo tendo 70 a 75% de água!

      Infelizmente, Everaldo, o mundo está cheio de “achismos” e, se você parar para prestar atenção, TODO MUNDO ACHA QUE ESTÁ CERTO! E todo mundo acha que quem pensa diferente está errado…

      Fica aqui, um questionamento para todos nós: “Se todo mundo acha que está certo e se todo mundo acha que o diferente está errado, quem está certo e quem está errado”? Porque, para todo mundo, o errado é sempre o diferente, sendo que para o outro eu também sou diferente?

      Abs.

  22. Lúcia Lopes disse:

    Olá Dr.Paulo, tudo bem?
    Estou na menopausa. Procurei um médico ortomolecular. Ele solicitou vários exames e me informou que faz a modulação hormonal bioidêntica, como é algo novo para mim, gostaria de saber sua opinião. Meu ginecologista receitou Tibolona 1,25 mg. Estou em dúvida e não sei o que fazer. Me ajude, por favor.

    • Lúcia:

      O Conselho Federal de Medicina resolveu proibir os tratamentos com hormônios bioidênticos e antienvelhecimento: http://www.diarionline.com.br/index.php?s=noticia&id=50586.

      Portanto, é melhor ficar com a Tibolona, que tem “comprovação científica“!
      A Tibolona é um derivado sintético do noretinodrel com atividade estrogênica, progestagênica e androgênica fraca. O seu uso é indicado no tratamento da menopausa, promovendo uma melhora significativa do humor e da sintomatologia climatérica, a conservação da massa óssea e aumento da libido e da lubrificação vaginal.
      Reações Adversas: a tibolona pode diminuir a tolerância à glicose e aumentar a necessidade de insulina e/ou antiabeticos orais. Podem ocorrer aumento do peso corporal, vertigem, edema de tornozelo, enxaqueca, cefaléia, reações cutâneas, hirsutismo, distúrbios gastrintestinais, alterações na função hepática, hipertensão arterial e alterações visuais. Durante o tratamento pode ocorrer hemorragia vaginal, normalmente de curta duração, cuja causa deve ser investigada, se persistente.

      Abs.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>